Arquivo

Archive for the ‘Notícias da Igreja Católica’ Category

ALERTA, GRANDE TRAGÉDIA ESTÁ PARA ACONTECER NO BRASIL

19 de junho de 2012 Deixe um comentário

Não é a primeira vez que o Governo do PT tenta instaurar a legalização do aborto, primeiro pelo PNDH-3, agora pelo anteprojeto do novo Código Penal Brasileiro. Dessa vez não se trata apenas de ABORTO, mas também, EUTANÁSIA E INFANTICÍDIO.

A Eugenia Nazista volta para nossa sociedade, uma ciência de “purificação da raça humana”, mas ela não foi apenas defendida pelos nazistas, também, pelas mais variadas sociedades secretas que produzem pessoas para o meio político, até mesmo existe um plano mundial, pregado por grupos da ONU para que isso seja aprovado em todo mundo. Existe uma defesa para a redução da população mundial, pois eles alegam que futuramente o mundo estaria correndo risco pelo grande números de pessoas que nele vivem.

Ora, quanta tolice, quantos absurdos para tentar justificar as matanças. Agora assistam o vídeo inteiro no link abaixo para se ver o absurdo que nosso país está para aprovar.

diga-nao-a-cultura-da-morte

Clique no link abaixo e assine a petição:
http://www.ipco.org.br/home/peticao-ao-senado

 

Anúncios

Perseguição ao Padre Paulo Ricardo

7 de abril de 2012 Deixe um comentário

Este artigo é um apóio ao Padre Paulo Ricardo que com sua vida sacerdotal luta incansavelmente pela Santa Tradição Católica Apostólica Romana. Não podemos deixar que “padrecos” por conveniência venham acabar com a a missão deste grande servo de DEUS. Vamos apoiar Padre Paulo Ricardo que denúncia o relativismo mundano dentro da Igreja Católica, (Clique no link: http://www.peticoesonline.com/peticao/em-apoio-ao-pe-paulo-ricardo-de-azevedo-junior/395#.T1Y2D88rCZk.twitter

 

Após ofensas, padres de Cuiabá pedem afastamento de colega

Padre Paulo Ricardo é acusado de ofender companheiros no “Vinde e Vede”

Divulgação

Clique para ampliar

Dom Milton (detalhe) deve decidir se afasta padre Paulo Ricardo de suas funções na Capital

ALEXANDRE APRÁ
ESPECIAL PARA O MIDIANEWS

O arcebispo de Cuiabá, dom Milton Santos, deverá decidir se acata ou não um pedido de afastamento das funções protocolado contra o padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior, que atua na Capital. O pedido foi feito por meio de uma carta aberta, assinada por 27 padres e protocolada junto à Mitra Arquidiocesana e à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

No documento, cuja cópia foi obtida pelo MidiaNews, os colegas alegam que o padre Paulo Ricardo vem ofendendo e denegrindo a imagem dos párocos locais, com sermões austeros e ofensivos contra os sacerdotes. Os nomes dos padres que assinaram o documento não foram divulgados pela Arquidiocese.

O estopim da briga entre o Clero aconteceu no “Vinde e Vede”, tradicional evento católico realizado no período no Carnaval em Cuiabá. Em uma palestra, o padre Paulo Ricardo insinuou que o “espírito mundano” entrou na Igreja por causa de padres que, na opinião dele, não mantém uma postura adequada.

“Quantos padres foram tomados completamente pelo espírito do mundão. Tá entendendo? Caíram no mundão, no mundo (…) Quer dizer que estão no mundão, tão na festança, tão no pecado. Não querem mais ser padres. Querem ser boy. Querem tar (sic) na moda. Tá entendendo? Querem ser iguais a todo mundo. Padre que quer ser igual ao mundo!”, afirmou o padre em sua palestra, que foi difundida pela internet, através do site YouTube e pelas redes sociais.

Outro ponto polêmico levantado pelo padre Paulo Ricardo é o fato de a maioria dos padres de Cuiabá não usar a batina como traje permanente. O sacerdote é conhecido no meio católico de Cuiabá por usar a vestimenta em todas as ocasiões em que é visto em público.

“Vejam: Nossa Senhora está dizendo que a Igreja tá sofrendo um calvário. E por quê? Porque entrou dentro da Igreja o espírito do mundo. E entrou como? Entrou por causa de padre! Por causa de padre que não é padre! Por causa de padre que não honra a batina porque, aliás, nem usa a batina!”, bradou o padre, em seu discurso.

Para os padres que assinaram o documento contra o religioso, a afirmação do padre, além de leviana, é uma grande ofensa aos padres de Cuiabá.

“O moralismo crispado e falso de Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior reduz a rica tradição da Igreja a um pequeno número de normas e restrições, com uma verdadeira obsessão de traços patológicos pelo uso da batina, fato que provocou recentemente um grande desgaste ao clero e ao povo da Arquidiocese de Cuiabá e volta a provocar agora, na 26ª edição do “Vinde e Vede”,”, diz trecho documento, que pede o afastamento do padre.

Para os colegas, o padre se coloca no Deus e julga centenas de religiosos que dedicam sua vida à igreja católica, além de espalhar a discórdia entre os fiéis.

“Colocando-se talvez no lugar de Deus, Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior julga e condena inúmeros irmãos no sacerdócio que levam vida ilibada e que são reconhecidamente compromissados com o Evangelho, com a Igreja e com o Reino de Deus. Ele espalha discórdia e divisões desnecessárias e prejudiciais ao crescimento espiritual do clero e do povo de Deus.”, relata o documento.

Política partidária

No pedido de afastamento, os padres ainda denunciaram o envolvimento do colega em campanhas políticas-eleitorais, em 2010. Segundo a denúncia, Paulo Ricardo se envolveu em campanhas contra determinados candidatos, a ponto de ser censurado pelo arcebispo Dom Milton Santos.

“Por ocasião da campanha eleitoral para a presidência da república, enfurnou-se em um cordão de calúnias, ameaças e difamação contra candidatos, contra o povo e contra a própria CNBB. A coisa se agravou a tal ponto que o arcebispo de Cuiabá teve que publicar uma carta proibindo o uso da missa e do sermão para campanhas político-partidárias”, diz outro trecho do documento.

“Saúde mental”

Os padres ainda pedem o afastamento imediato do colega das funções de magistério que exerce no Seminário Dom Aquino Correa (Sedac), em Várzea Grande, além de todas as funções formativos que exerce na Arquidiocese, como direção espiritual de seminaristas, palestras, conferências e celebrações, pois, para ele, Padre Paulo “não tem saúde mental para ser formador de futuros presbíteros”.

Os padres também pedem que ele seja afastado de todos os meios de comunicação social. Atualmente, o padre mantém programas de TV pela internet e pela TV Canção Nova, além de um blog na internet.

Apoio ao padre

Fiéis adeptos à ideologia do padre Paulo Ricardo lançaram, na internet, uma campanha de apoio ao religioso. Uma petição pública eletrônica foi criada no sentido de apoiar a conduta do padre. (Clique no link: http://www.peticoesonline.com/peticao/em-apoio-ao-pe-paulo-ricardo-de-azevedo-junior/395#.T1Y2D88rCZk.twitter)

Católicos também organizam uma manifestação em frente à sede da Arquidiocese, nesta quinta-feira (8), a partir das 13 horas. A expectativa dos organizadores é de reunir cerca de mil pessoas.

Outro lado

A reportagem entrou em contato com a Arquidiocese de Cuiabá. A secretária do órgão explicou que os dirigentes da igreja e o arcebispo Dom Milton estão em retiro espiritual que só termina na sexta-feira.

O padre Paulo Ricardo também foi procurado pelo seu celular. Mas, a ligação da reportagem não foi atendida.

Confira também a íntegra do documento que pede o afastamento do padre de suas funções:

Cuiabá, Mato Grosso

27 de fevereiro de 2012

Excelentíssimos e Reverendíssimos Senhores

Bispos, Padres e Povo de Deus

CNBB, ANP, /CNP, CRB, Regional Oeste II

Estado de Mato Grosso

Excelências Reverendíssimas, sacerdotes e povo de Deus

Consternados dirigimo-nos aos senhores para levar a público nossos sentimentos de compaixão e constrangimento com relação ao nosso co-irmão no sacerdócio, Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior, do clero arquidiocesano de Cuiabá. O que nos move é nosso desejo de comunhão, unidade, amor à Igreja e ao sacerdócio e a busca de verdadeira justiça, reconciliação e perdão.

Diante de um homem amargurado, fatigado, raivoso, compulsivo, profundamente infeliz e transtornado toma-nos, como cristãos e como sacerdotes, um profundo sentimento de compaixão e misericórdia. Diante de suas reiteradas investidas contra o Concílio vaticano II, contra a CNBB e, sobretudo, contra seus irmãos no sacerdócio invade-nos um profundo sentimento de constrangimento e dor pelas ofensas, calúnias, injúrias, difamação de caráter e conseqüentes danos morais que ele desfere publicamente e através dos diversos meios de comunicação contra nós, sacerdotes e bispos empenhados plenamente na construção do Reino de Deus.

Exporemos aqui estas duas questões com o máximo possível de objetividade na esperança que esta carta aberta seja acolhida com o mesmo espírito com que foi redigida e, mais ainda, na esperança de que encontraremos, com a intervenção segura e consciente de nosso querido Dom Milton Antônio dos Santos, arcebispo de Cuiabá, uma solução definitiva para esta questão e que seja sempre para a maior glória do Reino de Deus e para retomarmos o bom caminho.

Somos padres diocesanos e religiosos da Arquidiocese de Cuiabá e das demais dioceses do estado de Mato Grosso. Há décadas, dedicamo-nos, todos nós, com afinco, zelo e dedicação apostólica à instrução do povo nos caminhos do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, não merecemos as calúnias, injúrias e difamação de caráter que Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior desfere contra nós.

Vinde e Vede 2012

Há vinte e seis anos a Arquidiocese de Cuiabá organiza, patrocina e realiza, no período do carnaval, uma grande concentração religiosa, de massa, denominada “Vinde e Vede”. A este encontro acorrem milhares de pessoas do país inteiro, mas particularmente das paróquias da Arquidiocese de Cuiabá e dioceses vizinhas. Entre momentos festivos e momentos celebrativos, o encontro é também agraciado com oradores sacros dos mais diversos nortes do país. Entre estes oradores está também Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior, homem de verbo fácil, de muitos artifícios oratórios e também de muitas falácias e sofismas. Suas pregações sempre derrapam para denúncias injuriosas e caluniosas contra os bispos, os padres e o povo de Deus em geral. Com o advento das novas tecnologias da comunicação adotadas com maestria pelos organizadores deste grande evento, as lástimas de Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior ressoam em todo o mundo.

Leiam com paciência. Transcreveremos aqui parte de sua palestra proferida na última edição do “Vinde e Vede”. Intitulada “Totus tuus, Maria!”:

“O espírito mundano entrou dentro da Igreja. E entrou onde? Entrou o espírito mundano de que jeito dentro da Igreja? Pelos leigos? Entrou o espírito mundano de que jeito dentro da Igreja? Foi nos catequistas? Foi (sic) os ministros da comunhão? Foi através dos cenáculos do Movimento Sacerdotal Mariano que entrou o espírito mundano dentro da Igreja? NÃO! Nossa Senhora diz como foi que o espírito mundano entrou dentro da Igreja: ‘quantas são as vidas sacerdotais e religiosas que se tornaram áridas pelo secularismo que as possui completamente’. Deixa eu explicar o que Nossa Senhora está dizendo porque às vezes Nossa Senhora fala na linguagem que a gente não entende. Gente, ela tá falando de padres. Vidas sacerdotais aqui é PADRE! Quantos padres foram tomados COM-PLE-TA-MEN-TE pelo espírito do mundão. Tá entendendo? Caíram no mundão, no mundo. Ela fala espírito do secularismo. Quer dizer que estão no mundão, tão na festança, tão no pecado. Não querem mais ser padres. Querem ser boy. Querem tar na moda. Tá entendendo? Querem ser iguais a todo mundo. Padre que quer ser igual ao mundo! É isto que Nossa Senhora tá falando! O espírito… Vejam: Nossa Senhora está dizendo que a Igreja tá sofrendo um calvário. E por quê? Porque entrou dentro da Igreja o espírito do mundo. E entrou como? Entrou por causa de padre! Por causa de padre que não é padre! Por causa de padre que não honra a batina porque, aliás, nem usa a batina! (aplausos). ‘a fé se apagou em muitas delas.’ Deixa eu falar aqui claro pra vocês porque Nossa Senhora fala mas ocê num entende. A fé se apagou em muitas vidas sacerdotais, deixa eu dizer em português claro pra vocês. Tem padre que deixou de ter fé. É isso que Nossa Senhora tá dizendo. Está dizendo isto no dia em que o Papa João Paulo II estava aqui em Cuiabá. ‘A fé se apagou em muitos padres por causa dos erros que são sempre mais ensinados e seguidos. A vida da graça já está sepultada pelos pecados que se praticam, se justificam e não são mais confessados.’ O que que Nossa Senhora ta dizendo? Vamos trocar em miúdos aqui! Nossa Senhora está dizendo que a vida da graça de muitos padres – o padre tem que viver uma vida da graça. A vida da graça de muitos padres está SE-PUL-TA-DA! Posso dizer mais claro? Morreu! A vida da graça de padres pode morrer também. Como? Nossa Senhora diz: ‘pelos pecados’. Os pecados que praticam, aí depois que eles praticam, justificam: Não… não é pecado. Antigamente é que era pecado, agora não é mais pecado. (com ar de deboche). Entendeu? Nós temos que ser, nós temos que mostrar pra o mundo que a Igreja tem um rosto aberto, que a igreja está aberta pro mundo. Aí lá vai o padre pular carnaval, no meio de mulher pelada. Aí lá vai o padre fazer festa na arruaça, beber, encher a cara até cair. Pra dizer o quê? Ahh, o mundo… eu tenho que pregar o evangelho pro povo, pros jovens… O jovem tem que acreditar na Igreja, então eu tenho que ir lá, eu tenho que ficar junto com o jovem. Eu tenho que viver a vida que todo mundo vive. Gente, eu não sou melhor do que ninguém e Deus sabe os meus pecados […]”.

Pobre em espírito e conteúdo, esta palestra escamoteia um texto não oficial, escrito pelo fundador e personalidade maior do Movimento Sacerdotal Mariano, Padre Stefano Gobbi. Lembremos apenas as palavras do Papa Bento XVI na exortação apostólica Verbum Domini: […] “a aprovação eclesiástica de uma revelação privada indica essencialmente que a respectiva mensagem não contém nada que contradiga a fé e os bons costumes; é lícito torná-la pública, e os fiéis são autorizados a prestar-lhe de forma prudente a sua adesão. […] É uma ajuda, que é oferecida, mas da qual não é obrigatório fazer uso.” (Verbum Domini, n. 14).

É desastrosa e danosa à reputação de milhares de sacerdotes à “tradução” e “interpretação” que padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior dá às supostas palavras de Nossa Senhora ao Padre Stefano Gobbi.

Ainda Bento XVI, por ocasião da Conferência de Aparecida nos advertia: “Não resistiria aos embates do tempo uma fé católica reduzida a uma bagagem, a um elenco de algumas normas e de proibições, a práticas de devoções fragmentadas, a adesões seletivas e parciais da verdade da fé, a uma participação ocasional em alguns sacramentos, à repetição de princípios doutrinais, a moralismos brandos ou crispados que não convertem a vida dos batizados. Nossa maior ameaça é o medíocre pragmatismo da vida cotidiana da Igreja, no qual, aparentemente, tudo procede com normalidade, mas na verdade a fé vai se desgastando e degenerando em mesquinhez” […]. (DAp. N. 12).

O moralismo crispado e falso de Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior reduz a rica tradição da Igreja a um pequeno número de normas e restrições, com uma verdadeira obsessão de traços patológicos pelo uso da batina, fato que provocou recentemente um grande desgaste ao clero e ao povo da Arquidiocese de Cuiabá e volta a provocar agora, na 26ª edição do “Vinde e Vede”.

Interpreta ele erroneamente o Cânon 284 do Código de Direito Canônico (do qual se diz mestre) – “os clérigos usem hábito eclesiástico conveniente, de acordo com as normas dadas pela Conferência dos Bispos e com os legítimos costumes locais.” – e também as normas estabelecidas pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil que observam: “nas determinações concretas, porém, devem levar-se em conta a diversidade das pessoas, dos lugares e dos tempos.”

Colocando-se talvez no lugar de Deus, Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior julga e condena inúmeros irmãos no sacerdócio que levam vida ilibada e que são reconhecidamente compromissados com o Evangelho, com a Igreja e com o Reino de Deus. Ele espalha discórdia e divisões desnecessárias e prejudiciais ao crescimento espiritual do clero e do povo de Deus.

De forma indireta, condena nosso arcebispo emérito Dom Bonifácio Piccinini e nosso atual arcebispo, Dom Milton Antônio dos Santos. Ambos, dedicados inteiramente, com generosidade e abnegação ao Reino de Deus e à Igreja, não usam batina, como observou em junho passado uma fiel leiga presente a uma dessas contendas levadas a cabo por Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior e seus sequazes.

Ademais, o uso que ele faz da batina é puramente ideológico. Não a usa como veste, pois não a usa sempre. Usa-a apenas como instrumento de ataque àqueles que elegeu como seus desafetos. Essencial seria ele perguntar-se a si mesmo: “o que quero esconder ou o que quero mostrar com o uso da batina?” Não somos contra o uso da batina. Entendemos que identidade sacerdotal, bem construída, se expressa no testemunho pessoal e nas obras apostólicas e não na batina. Somos contra o uso ideológico que se faz dela e a condenação daqueles que “levam em conta a diversidade das pessoas, dos lugares e dos tempos.”

Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior: uma pessoa controversa

Muitos dos problemas enfrentados pela Arquidiocese de Cuiabá têm origem, continuação e fim na pessoa do Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior, dono de uma personalidade no mínimo controversa.

Apesar de todos os esforços de nosso querido Dom Milton Antônio dos Santos em busca da unidade, pouco se tem alcançado. Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior continua exercendo sua influência nefasta e dividindo o clero e o povo de Deus na arquidiocese de Cuiabá e no Regional Oeste II. E, mais importante, no SEDAC e nos seminaristas de todos os seminários do estado de Mato Groso.

Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior ultrapassa os limites do fanatismo quando se trata de questões teológicas, eclesiais e pastorais. Não é um teólogo e nunca foi um homem de pastoral. É apenas um polêmico, capaz de julgar e condenar a todos que não se submetem aos seus ditames e interesses de carreira.

Guardião de ortodoxias e censor de plantão, Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior costuma ser pouco honesto. Honestidade intelectual é proceder com humildade, modéstia, cautela nas críticas, observou recentemente o Papa Bento XVI em homilia ao clero da Diocese de Roma. A impetuosidade e o açodamento característicos da personalidade do Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior terminam por levá-lo a pecar contra a objetividade. Condena antes de saber de que se trata. Tem mais faro que inteligência, mais instinto que razão, mais paixão que serenidade, mais zelo doentio que honestidade.

Por ocasião da campanha eleitoral para a presidência da república, enfurnou-se em um cordão de calúnias, ameaças e difamação contra candidatos, contra o povo e contra a própria CNBB. A coisa se agravou a tal ponto que o arcebispo de Cuiabá teve que publicar uma carta proibindo o uso da missa e do sermão para campanhas político-partidárias.

Na mesma ocasião, Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior publicou na rede mundial de computadores uma carta difamatória contra os bispos, chamando-os de cachorros. “Cachorros que latem, mas não mordem.” A atitude de Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior deixou muitos bispos do Regional Oeste II profundamente consternados.

Ultimamente, tem difamado a CNBB, os bispos do Brasil e o Concílio Vaticano II na rede de TV Canção Nova. Este fato foi denunciado na última Assembléia Geral da CNBB.

Não obstante os já mencionados esforços de nosso arcebispo em busca da unidade, nossa Arquidiocese se aprofunda mais e mais em divisões, inúteis, desnecessárias e nocivas ao crescimento humano e espiritual da parcela do povo de Deus que nos foi confiada.

Solicitamos, portanto, de Vossas Excelências Reverendíssimas que Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior seja imediatamente afastado das atividades de magistério no Sedac e das demais atividades por ele desenvolvidas nas diversas instituições formativas sediadas na Arquidiocese e fora dela tais como direção espiritual de seminaristas, palestras, conferências e celebrações, pois não tem saúde mental para ser formador de futuros presbíteros. Pedimos também que seja afastado de todos os meios de comunicação social em todo e qualquer suporte, isto é, meios eletrônicos, meios impressos, mídias sociais e rede mundial de computadores.

Pedindo a bênção de Vossas Excelências Reverendíssimas, despedimo-nos com o coração cheio de esperança de que muito em breve será encontrada uma solução para esta constrangedora situação que tem se consolidado em nossa Arquidiocese.

Na obediência, na fé e na comunhão para nunca mais acabar.

Fonte: http://www.midianews.com.br/conteudo.php?cid=110415&sid=3

Olavo de Carvalho

VAMOS LUTAR POR MAIS PADRES COMO NOSSO PADRE PAULO RICARDO, OREMOS PARA QUE A IGREJA NÃO RETROCEDA AO MUNDO E NEM AO RELATIVISMO DO CONFORMISMO, COMODISMO E PRESSÕES MARXISTAS QUE COM UMA NOVA ESTRATÉGIA AGEM COM POLÍTICOS E GRUPOS RADICAIS ANTI-CRSITÃOS E PORQUE NÃO DIZER ANTI-CATÓLICOS.

DCN

Diga sim à vida e ao direito de nascer.

15 de março de 2012 Deixe um comentário

CPI da VERDADE sobre o ABORTO, JÁ!

qua, 14/03/2012 | Categoria: Notícias | Autor: Dom Luiz Bergonzini

Os 82% ou 71% do povo brasileiro contra a liberação do aborto precisam saber toda a VERDADE e merecem respeito. Os Parlamentos brasileiros não podem mais se omitir! Não dá mais para esconder os financiamentos internacionais e interesses assassinos e escusos por trás da campanha a favor do aborto. Precisamos de “comissões da verdade” para DAR VIDA às pessoas e NÃO MORTE. O Senado e a Câmara Federal podem criar CPIs. As Assembleias Legislativas estaduais e as Câmaras Municipais também podem criar CPIs para investigar entidades abortistas sediadas em seus estados e municípios.

CPI da VERDADE sobre o ABORTO, JÁ!

Há várias justificativas para iniciar a CPI DO ABORTO e mostrar a verdadeira face oculta da cultura da morte, da campanha pelo aborto livre.

Maternicídio

Os abortistas usam número mentirosos para assustar o povo e enganar os parlamentares. Já falaram em três milhões, um milhão e, agora, falam em 200 mil mortes maternas por ano. Por esses números teríamos um “maternicídio”. Os abortistas usam o número de curetagens em abortos espontâneos realizados pelo SUS (cerca de 180 mil/ano) para dizer que são abortos clandestinos ou mortes maternas de mulheres negras ou pobres. Verdade: o Ministério da Saúde informou: no primeiro semestre de 2011, foram 705 mortes maternas. Se o número for repetido no segundo semestre, serão 1.410 mortes maternas no ano. Infinitamente menor que 200 mil, um milhão, três milhões! Um genocídio de bebês não salvará a vida de nenhuma gestante. Precisamos dar condições alimentares e de saúde para salvar a vida dessas 1.410 gestantes.

Falta de Saúde Pública

As mortes maternas acontecem por falta de saúde pública adequada. Em BH, 95,5% das mortes maternas foram causadas por falha no atendimento de saúde, em 2010. Em Brasília, uma gestante ficou com o feto morto em seu útero por oito dias e outra recebeu o feto num vidro. Gestantes ficam abandonadas pelos corredores hospitalares em várias partes do país. A presidente Dilma Rousseff cortou a verba da saúde em mais de 5 bilhões de reais neste ano. As mortes das mulheres pobres, sem atendimento ou nas portas dos hospitais, é um problema de falta de saúde pública. É uma lástima a omissão dos governantes e dos parlamentos com futuro dos brasileirinhos e brasileirinhas. Pergunta-se: impedir que nasçam, matá-los no útero de suas mães será melhor para o Brasil?

Nazismo, preconceito e discriminação

Os abortistas dizem que as mulheres ricas, de todas as cores de peles, têm dinheiro para pagar seus abortos, por isso matariam seus filhos com mais tranqüilidade. Dizem que as mulheres pobres ou negras (usam a cor para vincular suas propostas ao racismo) morrem porque não têm dinheiro para pagar os abortos. As propostas dos abortistas são todas no sentido de assassinar os filhos das mulheres pobres. Os abortistas são adeptos de Hitler, querem criar uma raça brasileira pura, sem filhos de famílias pobres. O Estado é obrigado a dar “assistência aos desamparados” (art. 6º.CF) e saúde para as mulheres pobres, de qualquer cor, para que seus filhos sejam saudáveis. Pergunta-se: um país verdadeiramente rico é um país que mata os filhos dos pobres?

Capitalismo bilionários internacionais

O noticiário informa sobre o financiamento de ONGs e pessoas dedicadas à causa abortista por capitalistas internacionais bilionários – Fundação Ford – Warren Buffet. Nos EUA abortistas desviaram dinheiro destinado à cura de câncer para praticar abortos. É preciso descobrir como (se legalmente) e quem envia, quem recebe e proibir esse tipo de atividade destinada à matança dos brasileiros. É preciso confiscar esse dinheiro e destiná-lo à saúde. Pergunta-se: podemos deixar dinheiro internactional matar brasileirinhos e brasileirinhas?

Proteção à maternidade

A Constituição Federal diz, em seu artigo 6º., que são direitos sociais “…a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados…”. A gestação se inicia com a fecundação do óvulo. Portanto, é obrigação do Estado dar proteção à gestante e não propor o assassinato de seu filho. Nunca uma mulher precisou de atestado de psicólogo para declarar se ela estava em “condições psicológicas” para dar à luz e manter uma criança. Será que a mulher precisará de autorização do psicólogo para ter filhos ? A maternidade é um dom natural. O Estado, representado pela presidente, os governadores, os prefeitos e os parlamentos têm obrigação de dar proteção à maternidade e dar assistência às gestantes desamparadas (art. 6º.CF), através de um subsídio mensal, pago diretamente a elas, para terem seus filhos com saúde.

Aborto e estupro são crimes hediondos

Em nosso requerimento ao Ministério Público de Guarulhos, demonstramos que o aborto e o estupro são crimes hediondos. No aborto, a vítima, inocente e indefesa, é assassinada por meios cruéis. A alteração do Código Penal pode acontecer, mas para suprimir todas as possibilidades de aborto e garantir vida aos nascituros. O exemplo da deputada federal Fátima Pelaes (vídeo aqui) mostra que não podemos tirar a vida de ninguém. Para os casos de estupro, os governos e os parlamentos podem criar um subsídio financeiro para a mãe, até o nascimento do bebê, e simplificar a adoção, para reduzir o tempo de espera dos adotantes e evitar disputas judiciais entre a mãe adotiva e a mãe biológica.

Direito do nascituro/anencéfalo

O ex-ministro do STF, Eros Grau, sem nenhuma paixão religiosa, demonstra o direito do nascituro, inclusive o anencéfalo, no artigo “Pequena nota sobre o direito a viver”.

Pacto de San Jose da Costa Rica

A Convenção Americana de Direitos Humanos foi promulgada pelo Brasil através do decreto nº. 678/92. O art. 4º prevê o direito à vida e é bastante claro: “1. Toda pessoa tem direito de que se respeite sua vida. Esse direito deve ser protegido pela lei e, em geral, desde o momento da concepção. Ninguém pode ser privado da vida arbitrariamente.” Nos termos do art. 44, da Convenção, se aprovada a liberação do aborto, os organismos de defesa da vida poderão denunciar o Governo Brasileiro junto a Comissão Interamericana de Direitos Humanos, sediada em Washington, Estados Unidos da América.

Genocídio

A antiga “Convenção Para a Prevenção e Repressão do Crime de Genocídio”, promulgada pelo Decreto Presidencial n. 30.822, de 06.05.1952, renovada pelo Estatuto de Roma, promulgado pelo Decreto Presidencial nº. 4.388, de 25.09.2002, prevê, no seu art. 6o , o crime de Genocídio: “Para os efeitos do presente Estatuto, entende-se por ‘genocídio’, qualquer um dos atos que a seguir se enumeram, praticado com intenção de destruir, no todo ou em parte, um grupo nacional, étnico, racial ou religioso, enquanto tal: d) Imposição de medidas destinadas a impedir nascimentos no seio do grupo”. A elaboração de leis que possibilitem o assassinato em massa de filhos de mulheres pobres tem a conotação de impedir nascimentos no seio desse grupo nacional (pobres), podendo levar a denúncias no Tribunal Penal Internacional.
Quem pratica o mal maior, pode praticar todos os outros. O assassinato é o crime maior, pois tira a vida, o maior bem de uma pessoa. A vida é uma dádiva de Deus. Precisamos acabar com a cultura da morte, para reduzir a violência e gerar a paz. Aqueles que propõem a morte dos filhos dos outros ou matam seus próprios filhos perdem os parâmetros morais e podem praticar qualquer outro crime, sem nenhum peso na consciência.

Convocação

Convoco as crianças, os jovens, os adultos, os idosos, os cristãos, de todas as denominações, os não-cristãos, todos defensores da vida para, no dia 21.03.2012, comparecerem na concentração, a partir das 11:00 horas, na escadaria da Catedral da Sé, em São Paulo, para, em seguida, a partir das 12:30 h, participarem da Manifestação – CPI da Verdade sobre o aborto, já!, em frente ao forum João Mendes, na Praça João Mendes, Centro de São Paulo.

Jesus Cristo nos disse:

“O ladrão só vem para roubar, matar e destruir. Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância.” (Jo 10,10) “Eu sou o caminho a verdade e a vida.” (Jo 14,6)

O povo precisa da verdade e da vida!
O Beato João Paulo II nos disse:

Não tenhais medo! Não tenhamos medo!

Dom Luiz Bergonzini
Bispo Emérito de Guarulhos
www.domluizbergonzini.com.br

FONTE: http://padrepauloricardo.org/

Dom Manuel Edmilson da Cruz recusa homenagem no Senado.

1 de fevereiro de 2011 2 comentários

 

Recebi esses dois vídeos por e-mail, e foi uma alegria imensa quando vi este grande homem de mais de 80 anos de idade ser tão forte e corajoso diante dos sacerdotes da quimera. Dom Manuel Edmilson da Cruz não vacilou ao se apresentar como servo de DEUS e deu uma lição de humanidade e cristandade aos parlamentares.

DEUS seja louvado por mais um ato de justiça através do seu servo.

NÃO AO PNDH-3!

8 de novembro de 2010 3 comentários

Pessoal, restam poucos meses para Lula sair e agora será pior, seu fantoche pelotão de reserva foi escalada, ela assumira o Brasil. Como sabemos Dilma irá dar continuidade do Governo Lula e levará adiante todos os projetos, inclusive, o PNDH-3.

O terceiro plano nacional de direitos humanos (que de direitos humanos não tem nada) é um projeto antigo do PT para controlar a mídia, atacar as igrejas cristãs, descriminalizar o aborto, legalizar a prostituição (com carteira assinada e fundação de categoria da profissão), fazer casamentos de homossexuais, proibir símbolos religiosos, rstringir progrmações religiosas na mídia, formalizar as invasões criminosas de terras, penalizar os meios de comunicações caso sejam contrários ao plano com a perda dos direitos de transmissões e multa e o pior lhe prender alegando discriminação caso você seja contrário ao plano. Ou seja, mordaça na população contrariando nossos direitos reservados na Constituição Federal de liberdade de expressão.

Se junte a todos os Cristãos do Nosso País, seja você também um soldado corajoso de Cristo Jesus.

Acessem este link e participe da mobilização pela liberdade no nosso País e contra a morte de várias vidas inocentes:

http://www.ipco.org.br/home/divulgue

Bento XVI quer que os Bispos orientem os fiéis politicamente

28 de outubro de 2010 Deixe um comentário

Sempre pensei da seguinte forma: aqueles que são obrigados a votar podem e tem o direito de expressar de acordo com suas crenças, de acordo com a sua fé, sob a luz da liberdade democrática.

Vimos nessas eleições 2010 uma série de comentários contra o posicionamento de alguns Bispos e Padres, como também, os evangélicos. Escutamos que as Igrejas cristãs não devem influenciar nas questões políticas. Ora, se temos a liberdade religiosa e temos o direito de votar naquele ou nesse político, porque não podemos expressar nossa fé e nossa posição?

A verdade é que o partido que hoje se encontra no Governo (PT) tem como projeto partidário – sempre teve – a descriminalização do aborto, o mais sério, a descriminalização do aborto até o nono (9) mês de gravidez, ou seja, prestes a criança nascer, mamar, falar e andar. Isso é no mínimo macabro! Fora a discriminalização do aborto o plano do PT e seus seguidores é de inibir a ação cristã no Brasil (país predominantemente cristão), pois existem vários artigos que proibem a livre manifestação religiosa, entre outros. (casamento homossexual, a retirada se símbolos religiosos, profissionalização da prostituição…etc).

Diante destes absurdos era de se esperar que próximo ao dia 31 o Papa Bento XIV se manifestasse em favor da vida.

Na cidade do Vaticano o Papa não falou diretamente ao Brasil, mas indiretamente, já que se tratava de um pronunciamento aos Bispos do Brasil.

O Papa disse: que os religiosos tem … 

  • “o grave dever de emitir um juízo moral também em matérias políticas”.
  •  “os direitos fundamentais da pessoa ou a salvação das almas o exigirem, os pastores têm o grave dever de emitir um juízo moral, mesmo em matérias políticas”.
  •  “quando os projetos políticos contemplam, aberta ou veladamente, a descriminalização do aborto ou da eutanásia, o ideal democrático – que só é verdadeiramente tal quando reconhece e tutela a dignidade de toda a pessoa humana – é atraiçoado nas suas bases”.
  • ao defender a vida, “não devemos temer a oposição e a impopularidade, recusando qualquer compromisso e ambiguidade que nos conformem com a mentalidade deste mundo”.
  • “usar livremente o próprio voto para a promoção do bem comum”.
  • “Neste ponto, política e fé se tocam”.

Nesse mesmo Blog que luta pela vida digna e moral você encontra vídeos de líderes religiosos, como: Silas Malafaia, Padre José Augusto, Padre Paulo Ricardo, Bispo Dom Aldo, Pastor Piragine, Professor Felipe de Aquino, Padre Léo, como também homens influentes, o Jurista Ives Gandra, Arnaldo Jabor, Alexandre Garcia e etc. Todos esses se manifestaram contra o PNDH-3 que foi assinado e aprovado pelos líderes do PT.

Não podemos como cristão nos calar. Nós acreditamos que as leis de DEUS moraliza seu povo e que essa lei deve influenciar nas nossas, se abrirmos nossas convicções ao que chamamos de “relativismo cultural”, “Marxismo cultural” ou “Institucionalização da iniquidade” nós deixaremos de ter um compromisso com DEUS, nós iremos quebrar a aliança de DEUS com o povo de israel e pode esperar que se isso acontecer muita desgraça poderá vir.

Não queria dizer em que político nós cristãos deveríamos votar, mas a verdade é que na briga presidencial temos apenas 2 políticos na briga. Sempre a Igreja se manteve imparcial, mas hoje tanto eu como todos esses líderes podemos e devemos dizer: NÃO VOTE NO PT, NÃO VOTEM EM DILMA!!! VOTEM EM JOSÉ SERRA E O SEU NÚMERO É 45.

Se tinhamos a liberdade de nos expressar agora que eu posso ir mais além e dizer o candidato que devemos votar e o seu número.

LEMBREM-SE DEUS VENCEU NO PRIMEIRO TURNO E VAI VENCER TAMBÉM NO SEGUNDO.

ACONSELHO VOCÊS ASSISTIREM O VÍDEO DE GIANE JENSSEN-UMA SOBREVIVENTE DO ABORTO, NO TAGS: ABORTO.

VÍDEO DE BENTO XIV ORIENTANDO OS BISPOS DO BRASIL A SE PRONUNCIAREM CONTRA O ABORTO E PARA ORIENTAREM OS FIÉIS POLITICAMENTE.

VAMOS JUNTOS EM FAVOR DA VIDA, EM FAVOR DA LIBERDADE. NA LUTA POR UM BRASIL MELHOR!

 

SERRA É DO BEM! SERRA 45!

Dom Aldo Pagotto-Direito a vida, aborto e eleições 2010

19 de outubro de 2010 Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: