Arquivo

Posts Tagged ‘adoração’

Razão do meu viver

28 de março de 2012 1 comentário

É preciso saber que temos uma razão para viver, é preciso saber que verdadeiramente existe um Deus e que este DEUS nos ama incondicionalmente, é preciso saber que ELE constantemente nos movimenta e que vai a todos os lugares conosco, nos amando e nos protegendo.

É fundamental que tenhamos na nossa razão, na nossa consciência a existência desse DEUS vivo que tudo criou e tudo cria. Tenho pena daqueles que não acreditam em DEUS, pois sofrem, justificando os erros de acordo com seus próprios orgulhos e assim justificando o mal, o tornando sempre presente e normal. Mas, para agonia deles todos, Jesus tem sua história cientificamente comprovada, então, até podem negar a Sua divindade para não sofrerem com seus egoísmos, mas, jamais poderão negar sua passagem pela terra, talvez isso seja a questão mais confusa dos incrédulos, que não acreditando são obrigados a aceitar, pois é inegável. Jesus homem está presente na história da humanidade, sua existência entre nós é comprovada, sua marca no mundo é admirada por todos e incompreensível. É confuso ver um homem que quebrou com tantas barreiras onde fez a graça superabundar e a lei foi um tabu quebrado, o amor superou a razão, assim como até hoje supera. Pois é, o Jesus homem nos leva ao Jesus divino, por isso que os incrédulos ficam confusos e não consegue aceitar aquela humanidade extrema, uma humanidade inebriada de amor, cheia do céu, cheia do misterioso, cheia do divino, consubstancial ao divino.

Devemos sempre com sucessivas tentativas mergulhar nos mistérios de Deus, porque digo tentativa? Por que deverá ser sempre e todos os dias, uma nova tentativa revela um novo mistério. Toda ciência do mundo não irá lhe dar a certeza da existência de Deus, nem toda Filosofia até mesmo teologia. Podemos dizer que se podem traçar caminhos, mas nunca lhe revelar a certeza, a verdade.

A verdade, a certeza de razão e alma só dependerá de cada um. Utilizar um caminho traçado ajuda, por exemplo, os escritos de Santo Agostinho, mas esses escritos não terão o mínimo sentido, o caminho não terá um horizonte se você não conseguir enxergar o sol, digo, enxergar Jesus. Por isso, devemos todos os dias tentar, orar e meditar a palavra para realmente termos uma experiência com Jesus. É preciso querer, devemos nos desarmar dos orgulhos que como muralhas cercam nossas necessidades e fraquezas, o orgulho que impede mostrar as feridas, o orgulho que impede de mostrar as enfermidades. Jesus veio para aqueles que necessitam Dele e não para aqueles que se julgam são. Pode um médico curar um doente que não diz onde está sua dor, onde se localiza sua ferida, e que se diz um não enfermo? Sabemos que mentimos para nós mesmos buscando ser uma pedra dura e forte, inabalável para que todos pudessem admirar, mas não somos. Pois é, meus caros! Somos um poço de sentimentos e se você quiser ser uma pedra isso vai ficar preso dentro de você até momento de não agüentar mais e rachar explodindo migalhas para todos os lados, ou seja, acabará morrendo, e não estou usando metáfora quando falei em morte, irá morrer mesmo.

Sempre nos achamos capacitado, mas Deus rejeita aqueles que se julgam capacitado, Ele quer nos capacitar, Deus nos vê mais profundamente, Ele enxerga a potencialidade, o coração, então, é preciso que possamos permitir isto, é preciso que abaixemos as armas que é o orgulho. Este sentimento impede que sejamos felizes, não permite sermos enxergados por Deus.

Se você clamar por Deus, Ele lhe atenderá, como já disse, basta querer. Alguém lhe prestará socorro se por acaso dentro de um buraco não gritar por ajuda? Alguém entrará na sua casa se não for convidado, ou melhor, você entraria em uma casa sem ser convidado? Jesus é humilde o suficiente para ficar esperando um convite seu, esperando um pedido de socorro, basta uma vez, basta apenas um pedido. Pois é, o meu, o seu, o nosso Deus todo poderoso, onipresente, onisciente, Senhor dos exércitos, Senhor do céu e da terra está na sua porta esperando apenas um convite, mesmo rejeitado, Ele está à espera de apenas um convite.

A razão do meu viver é a certeza da minha alma, a certeza da minha alma é a revelação divina e a revelação divina começa apenas com a quebra do meu orgulho: “Vem Senhor Jesus entra na minha casa, me ajuda nas feridas, cura a minha dor…”

Hoje deixemos Jesus entrar, não há alegria melhor que sentar-se à mesa com o Senhor.

Médico dos médicos, curai-nos.

Senhor dos senhores, perdoai-nos.

Santo dos santos, santificai-nos.

Deus, único Deus, salvai-nos.

DCN

Anúncios

O Amor não é amado!

7 de abril de 2010 Deixe um comentário

Este é o planeta em que vivemos, planeta de belas paisagens, planeta de belos animais… dentre tudo que existe neste planeta existem seres mais belo que o ouro e a prata. Desde o início da criação destes seres Deus se alegrou profundamente, era a sua maior criação, a sua maior alegria. Disse Deus aos seus anjos que os protegessem, disse a todas as outras criaturas que deveriam servir a esta bela criação e que se fosse necessário deveriam se entregar em sacrifício para satisfazê-los, todas as criaturas seriam para agradar unicamente a esta bela criação. Deus amou tanto que os quis como deuses temidos por todas outras criaturas, Deus deu a essas criaturas a sua imagem e  semelhança, deu o livre arbítrio.

As criaturas preferidas de Deus adoravam e se regozijavam daquela “supremacia” que para elas foram dadas, queriam a todo momento a proteção dos anjos, queriam a todo momento os sacrifícios das demais criaturas.

Deus as amava tanto que disse-lhes:  reproduzam-se, eu quero milhares de vocês, eu quero filhos e mais filhos. Deus amou tanto que os chamou de filhos.

As criaturas amadas e “perfeitas” adoravam as outras se sacrificando por elas, adoravam tanto que não mais se compadeciam dos sacrifícios e nem agradeciam ao criador pela força que Ele permitiu que as tivessem.

Criaram templos para si próprios, criaram ordens para si próprios, criaram vida para si próprios, não existia mais o templo de Deus, não existia mais as ordens de Deus e não existia mais a vida em Deus.

O tempo passou e as criaturas amadas de Deus se cansaram dos sacrifícios dos animais que lhes foram concedidas, começaram a se perder na avareza, Deus os quis como deuses e eles agora unicamente querem ser “Deus”, com onipotência.

Cansaram da proteção dos anjos, pois se acharam imortais; não se agradavam mais pelos sacrifícios das outras criaturas, pois a soberba os levou a fazerem sacrifícios de sua própria estirpe, para sua própria “honraria”.

Destruíram todas as criaturas que Deus criou, e, agora as amadas querem se autodestruir.

Deus está agora profundamente triste, pois tudo que Ele amou profundamente e deu “toda força”, na terra, agora querem ser responsáveis, até mesmo pelo mundo que maltratam.

Deus olhou de cima e soltou uma lágrima, essa lágrima era uma criança, filho unigênito, consubstancial a Ele. Deus teve que intervir pessoalmente para que seus amados parassem de se matar, parassem de destruir tudo o que Ele criou. Deus mandou seu ultimato, e vejam, os amados Dele, os mataram e beberam do seu sangue, sortearam suas vestes e o imolaram.

O pai deixa uma lágrima cair até hoje, todos os dias.

O Pai chora tentando salvar seus amados toda vez que o Padre diz, na Santa Missa: “Esse é o meu corpo que será entregue por vós”

Daniel C. Neves

DCN

I see love (Eu vejo amor – Legendado para o Português).

4 de abril de 2010 2 comentários

Santo culto à Maria, apóstolos, santos, anjos, mártires, beatos…

28 de setembro de 2009 1 comentário

1233337012[1]Deparamo-nos constantemente com outras pessoas que criticam os fiéis da Igreja Católica, dizendo que somos idólatras e que devemos adorar somente a Deus, mas nós adoramos apenas Deus, ELE é o único digno de toda glória e merecedor de adoração. O que acontece é uma má compreensão dos cristãos  protestantes, o que fazemos é render um culto religioso, uma veneração, a Virgem Maria, apóstolos, santos…

Primeiramente vamos entender a palavra VENERAÇÃO e ADORAÇÃO, para isso peguei o sentido  dessas palavras em dois dicionários, que são o Caldas Aulete e o Aurélio.

Segundo Caldas, veneração é a ação ou resultado de venerar, de ter profundo respeito por alguém ou algo; reverência; 2. A adoração religiosa; culto. Aurélio define melhor a veneração dividindo o sentido da palavra, vejam só o que diz Aurélio: 1.Ato ou efeito de venerar; reverência; respeito, admiração, consideração: Tem veneração ao pai.
2.Devoção, culto, adoração: Ficaram as relíquias expostas à veneração dos fiéis.

Veja que o ato de venerar não está relacionado apenas a adoração, mas também ao respeito ou admiração. Então eu posso muito bem dizer que você é digno de veneração, ou seja, você tem algum aspecto que eu respeito ou admiro, eu posso dizer tranquilamente, aquele protestante teve uma atitude venerável e não quer dizer que estou adorando-o.

Então está claro agora o que nós católicos fazemos, nós utilizamos todos os sentidos da palavra venerar. No sentido respeitar ou admirar: Eu admiro (venero) o sim de Maria, eu respeito (venero) a Virgem Maria; eu admiro (venero)  a vida de São Francisco de Assis; eu olho para a imagem de Santo Agostinho admirando (venerando) suas palavras sábias e sua vida, respeitando (venerando)  toda sua escolha de vida. No sentido adorar: Eu adoro (venero) Deus; eu presto adoração (veneração) ao SS. Sacramento no altar.

Não se preocupe com aqueles que quer confundir sua doutrina por que está claro agora que a palavra venerar tem dois sentidos, um digno e ou outro nobre, grandioso e único de amor excessivo.

Vamos venerar Deus no sentido de todo amor grandioso, único, excessivo e majestoso, vamos adorá-lo, e, vamos venerar a Virgem Maria, os santos, os anjos, os apóstolos, os mártires…, no sentido da admiração e do respeito.

Venerado seja Deus pela venerada Igreja Católica!

DCN

%d blogueiros gostam disto: